Moisés?!

Uma coisa que às vezes consigo fazer logo a seguir ao almoço, embora raramente, abrir caminho pelo oceano assim à bruta, na maior descontracção... Estiveram quase para me chamar Moisés quando nasci, mas depois ficou Luís....


Ontem o mar estava muito bravo, andei o tempo todo a fugir das ondas... na praia não havia uma única Pamela e o David estava alcoolizado na esplanada... Escapei por pouco... Esta fotografia só faz sentido ver com a música deste link a tocar bem alto.

 

Share this:

10th International Conference on Culinary Arts and Sciences - Menção honrosa


Recentemente, na 10th International Conference on Culinary Arts and Sciences, a equipa de investigadores do consórcio Infusão Premium do qual o Cantinho das Aromáticas foi promotor líder, recebeu uma menção honrosa para melhor poster, com um dos trabalhos resultantes do Infusão Premium, intitulado: “Application of eye-tracking technology for the evaluation of different packaging designs for premium organic herbal teas".

Um dos grandes objectivos deste trabalho de investigação absolutamente inovador é a criação de uma nova cultura de consumo de infusões, que leve o consumidor a apurar ao limite o prazer do acto de degustação destas bebidas, através da criação de lotes de excelência. 

É o que nos esforçamos por fazer nos últimos 15 anos no Cantinho das Aromáticas, todos os dias. Agricultura biológica, investigação e desenvolvimento, partilha de conhecimento, produção de algumas das melhores infusões, tisanas e condimentos do mundo.

Muitos parabéns a toda a maravilhosa equipa que desenvolveu este trabalho!!!



Share this:

Andai à pêra, ó freguês!!!

É tão bom colher de uma árvore que se plantou há 5 anos atrás, cuidada ao longo do tempo com amor e carinho.

Fruta fresca, maravilhosa, sem pesticidas e adubos de síntese, para distribuir por toda a equipa, que merece provar o fruto do seu trabalho e dedicação!!!


Andai à pêra, ó freguês!!!

Share this:

Bicharada sobre rodas

É o que tem, andar de mota, há sempre a possibilidade de um tipo ir perdendo vidas a cada dia que passa... neste caso apenas sobra uma de sete... ou é isto ou a bicharada da minha freguesia está a dar início a uma revolta sobre rodas!!!


Share this:

Colheita de fruta

No Cantinho das Aromáticas nem todos temos o privilégio de trabalhar regularmente nos campos. No entanto, quando é preciso, dá-se uma ajuda, nem que seja para colher fruta!!

Share this:

Colheita de Equináceas

Um dos momentos mais constrangedores do ano agrícola no Cantinho das Aromáticas é a colheita de Verão das equináceas. 

O campo é tão bonito que nos apetecia congelá-lo para sempre... mas não é possível...

Aqui fica o registo do início da colheita deste ano. É feita de forma mecânica, em várias fases, sendo a primeira a colheita das flores e posteriormente a planta inteira, que depois seguem para a secagem.
As equináceas voltarão a florir em Novembro, embora o porte das plantas nessa altura seja inferior.

Entretanto outras plantas mostram todo o seu esplendor, como as perpétuas, o príncipe ou o limonete!!!

Aproveitem as férias de Verão para nos visitar e vivenciar todas estas experiências enquanto passeiam demoradamente pelo nosso maravilhoso jardim produtivo!!!

Share this:

Novidades!!!

Novidades!!! Temos novos produtos na nossa loja! Desde conservas de Bacalhau e de Cavala Minerva, até Vinagre de Sidra BIO, passando por Óleo de Coco BIO, Geleia de Agave BIO, Desodorizante Pedra de Alúmen e Sprays Purificantes BIO!!!

Disponíveis a partir de agora na loja do Cantinho!!! Estamos abertos de 2ª a 6ª das 9h00 às 18h00 e Sábado das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 18h00 horas.


Share this:

Colheita excepcional de perpétuas ao sábado - 22 de Julho

Há 6 anos consecutivos cultivamos no Cantinho das Aromáticas alguns dos mais belos campos de flores de Portugal, repletos de perpétuas de todas as cores.

Desde o início, a colheita manual destas flores teve sempre um dia aberto à comunidade, durante a semana, permitindo aos interessados vivenciar esta maravilhosa experiência de colheita colectiva!!!

Cada vez mais temos pedidos de pessoas que não podem vir durante a semana e gostariam de poder participar na colheita.

Este ano decidimos fazer dias de colheitas excepcionais aos sábados de manhã, das 10 às 12 horas.

Quem quiser, pode ficar da parte de tarde e conhecer de perto a AMAP Gaia.

No próximo sábado 22 de Julho, das 10 às 12 horas, faremos uma colheita excepcional de perpétuas. Quem quer participar?

Basta aparecer!!!

Podem trazer crianças, amigos e familiares!!!

No final, oferecemos uma planta a cada participante, bem como infusões e biscoitos!!! Cá vos esperamos!!!


Share this:

Finlândia

Hoje demos uma entrevista para o jornal finlandês Helsingin Sanomat, que publicará em breve uma reportagem dedicada aos novos agricultores portugueses.

As nossas infusões, tisanas e condimentos são já muito apreciadas na Finlândia!!!

Share this:

Quem anda a tentar tramar a agricultura biológica?

Recentemente, a revista Visão publicou uma polémica investigação, com uma capa bombástica "Fraude nos Biológicos".

Gerou-se uma enorme discussão pública sobre este assunto e, como habitual nestes casos, foi também gerada informação na mesma proporção da desinformação.

Acima de tudo, esta reportagem proporcionou uma excelente oportunidade para se reflectir sobre agricultura biológica e da sua importância na sociedade actual.

Como fez o meu querido amigo Alfredo Cunhal Sendim, da Herdade do Freixo do Meio, com este excelente texto, que subscrevo integralmente. 



"Quem anda a tentar tramar a agricultura biológica?"

"A agricultura biológica é uma pratica ancestral resultante de uma Ética baseada numa atitude de responsabilidade, vivida através do respeito e da cooperação com o nosso planeta e connosco próprios. 

Ao longo de mais de dez mil anos, foi este o principio que norteou a lenta tecnologia que se ia desenvolvendo para por cobro à miséria, através da planificação, da modificação e da gestão de agroecossistemas eficientes e por isso perduráveis. 

Não parece ser a cooperação o que caracteriza o modelo de Agronegócio desenvolvido no século passado. Este novo modelo, a agricultura industrial a que chamamos convencional, desenvolveu-se sobre o tremendo salto tecnológico e energético que criamos. 

Resolveu o problema da fome da 2ª guerra mundial, através de uma nova abordagem agrícola orientada para a especialização e para o aumento de produção unitária. 

A partir daqui, a agricultura biológica (AB, agroecologia) foi marginalizada (obrigada a ter que demonstrar que o é?) e esmagada pelos preços baixos provocados pelo aumento desmedido da produção deste novo pacote tecnológico, sem que este aumento na produção de alimentos tenha verdadeiramente contribuído para melhorar a nossa frágil realidade social. 

Pelo contrário, quer pelo impacto económico quer pelo social e ecológico, este modelo revela-se dia a dia um problema cada vez maior. O aumento da procura levou o agronegócio a entrar, também, na agricultura biológica. 

Qual é a ética que prevalece? A da cooperação ou a da ganância?

Será então que é agricultura convencional os seus interessados e organizações?

Ou serão aqueles que sem viver o conceito tentam tirar partido dele, especulativamente?

Será o próprio Ministério da Agricultura ao nunca ter percebido a importância estratégica deste sector? Como contributo para a resposta atenda-se a forma como este organismo gere e credibiliza (?) os organismos privados de controlo e certificação. 

Ou o conteúdo oco da “Estratégia Nacional para a Agricultura Biológica”, que chega com 20 anos de atraso, feito no Uber e à revelia do sector. 

Será a própria Agrobio através da atitude autista e autofágica que a caracteriza desde que á anos foi assaltada pelos seus funcionários, afastando-se por completo da realidade e necessidades do sector (mas vivendo à custa dele)?

Será que somos todos nós, os consumidores saciados com a comida barata que a “economia que mata” nos proporciona?

Será a revista Visão, lançando a nódoa e a suspeita sobre todo um sector comprometido, ao não divulgar a identidade dos produtos, locais de venda e do laboratório? 

Será a agenda das corporações que dependem do mito tecnológico, cada vez mais difícil de promover racional e emocionalmente? 

É curioso o percurso do jornalista Luís Ribeiro: OGM´s são ótimos; Não nos preocupemos com o Ambiente que não vale a pena; E agora, é você o palerma que paga para ser enganado no bio?

Será o senhor investigador e ex-bastonário da ordem dos biólogos, bastião da ética para vida, Pedro Fevereiro ao afirmar sem citar fontes que agricultura biológica não pode alimentar o mundo? 

O que nós hoje sabemos é que a agricultura industrial não o alimentará certamente, leia-se por exemplo o relatório A/HRC/25/57 das ONU de Olivier de Shutter. 

Porque será que este reputado professor de tecnologia química nos quer impingir, do alto do seu estatuto, a ideia de que tudo é natural, que tudo é bom, que tudo dá igual, que todos os modos de produção são extraordinários e que as consequências dos mesmos para o ambiente, para a nossa saúde, para a dignidade da população humana,..., são inócuas?

Intuo que no fim dos tempos a ética que está por trás da criação do projeto vida, a que pertencemos, prevalecerá. A ética da Responsabilidade, do respeito e da cooperação.

Até lá, que venham todos! Desde que seja para evoluir...." 


Alfredo Cunhal Sendim

Agricultor

Share this: